quinta-feira, 31 de julho de 2008

Documentário da Semana: O Mundo Segundo a Monsanto - The World According to Monsanto


Este documentário é o resultado do trabalho de três anos de investigação da jornalista francesa Marie-Monique Robin. O livro "Le monde selon Monsanto" e o documentário homónimo são um libelo contra os produtos e o lobby da multinacional. A Monsanto produz 90% dos transgénicos plantados no mundo e é líder no mercado de sementes.

"Alimentação, Saúde, Esperança": no seu site, a empresa de St. Louis promete uma agricultura sustentável, rendimentos mais elevados, ambientalmente amigável. 
Experiente jornalista de investigação, tendo recebido o Premio Albert-Londres em 1995, a realizadora decidiu analisar de forma pormenorizada, inclusive, explorando o passado da empresa. O seu primeiro passo leva-a a Anniston, Alabama, onde 40% da população, na sua maioria negros, que estão a sofrer de cancro. Em 2002, a Monsanto foi condenada pelo tribunal a pagar 700 milhões de dólares por ter escondido durante décadas os perigos do PCB ... 

Para saber mais:
2. Arte 

terça-feira, 29 de julho de 2008

Comunicação Não Violenta

Uma visão contemporânea de gerir conflitos e frustrações e quais as consequências dos conflitos no relacionamento individual e social, por forma que seja seguro opinar, discordar, seja seguro formular a verdade.


O que é a comunicação não violenta?

A ''Comunicação Não-Violenta'' (CNV) é um processo de pesquisa continua desenvolvido por Marshall Rosenberg e uma equipe internacional de colegas, que apoia o estabelecimento de relações de parceria e cooperação, em que predomina comunicação eficaz e com empatia. Enfatiza a importância de determinar ações a base de valores comuns. Quando usada como guia na co-construção de acordos a CNV pode tomar a forma de uma série de distinções, entre as quais:
  • Distinção entre observações e juízos de valor
  • Distinção entre sentimentos e opiniões
  • Distinção entre necessidades (ou valores universais) e estratégias
  • Distinção entre pedidos e exigências/ameaças
Uma comunicação à base destas distinções tende a evitar dinâmicas classificatórias, dominatórias e desresponsabilizantes, que rotulem ou enquadrem os interlocutores ou terceiros.
A CNV enxerga uma continuidade entre as esferas pessoal, inter-pessoal e social, e proporciona formas práticas de intervir nelas.
Aqueles que se apoiam na Comunicação Não-Violenta (chamada também de "comunicação empática") consideram que todas as ações estão originadas numa tentativa de satisfazer necessidades humanas, mas tentativas de fazê-lo evitando o uso do medo, da vergonha, da acusação, da ideia de falha, da coerção ou das ameaças. O ideal da CNV é conseguir que nossas necessidades, desejos, anseios e esperanças não sejam satisfeitos às custas de outra pessoa. Um princípio-chave da Comunicação Não-Violenta é a capacidade de se expressar sem usar julgamentos de "bom" ou "mau", do que está certo ou errado. A ênfase é posta em expressar sentimentos e necessidades, em vez de críticas ou juízos de valor.
Rosenberg escolheu a comunicação conhecida como "não-violenta" para falar aproximadamente da filosofia de Mohandas Gandhi do ahimsa (ou não-violência). Não obstante, ao contrário de Gandhi, Rosenberg aprovava o uso defensivo da força - para evitar ferimentos, mas não com sentido punitivo (ou seja, com a intenção punir ou machucar alguém). Rosenberg afirma que esse desejo de punir e o uso de medidas punitivas existe somente nas culturas que têm visões moralistas do mundo, que usam as categorias de bom e mau. Ele diz que os antropólogos descrevem culturas em muitas partes do mundo em que a ideia de que alguém é "mau" não faz nenhum sentido, e que tais culturas tendem a ser pacíficas.


Utilização
Rosenberg, psicólogo clínico de formação, aplicou o modelo de Comunicação Não-Violenta em programas da paz em Ruanda, Burundi, Nigéria, Malásia, Indonésia, Sri Lanka, Oriente Médio, Sérvia, Croácia e Irlanda.
As contribuições teóricas e práticas de Rosenberg são amplamente utilizadas nas áreas de mediação e definição dos conflitos e são usadas por alguns mediadores em seu trabalho.

Ligações externas

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Herbert Marcuse - inspirador ideológico do movimento estudantil de protesto de Maio de 1968

Marcuse se preocupava com o desenvolvimento descontrolado da tecnologia, os movimentos repressivos das liberdades individuais, e com uma desvalorização da razão em favor da técnica. Em seu livro "O homem unidimensional", Marcuse afirma que a sociedade industrial chegou a um ponto onde a burguesia e o proletariado, classes responsáveis pelo movimento da história, deixam de ser agentes transformadores da sociedade para se tornarem agentes defensores do status quo.

Os avanços da técnica solucionaram tantas pequenas necessidades, tornaram a vida destes grupos tão confortáveis, que o ímpeto revolucionário desses grupos cessou. Ao mesmo tempo, a técnica possibilita um controle social cada vez mais aperfeiçoado, e se torna não um instrumento neutro, como se acreditava anteriormente, e sim engrenagem central de um novo sistema de dominação. E se o proletariado não é mais "sujeito revolucionário", grupo em oposição à sociedade hegemônica, que grupo social o será?

De acordo com Marcuse, isso cabe àqueles cuja ascensão não é permitida pela sociedade moderna, aos grupos minoritários às margens da sociedade que o bem-estar geral não conseguiu (ou não se interessou em) incorporar.

Marcuse retoma d Hegel duas noções capitais, a ideia de "Razão" e a ideia de "Negatividade". A Razão é a faculdade humana que se manifesta no uso completo feito pelo homem de suas possibilidades. Não se pode compreender a "possibilidade" longe do conceito de "necessidade". O que necessitamos? A necessidade nos dirige a certos objetos cuja falta sentimos.

A possibilidade mede o raio de nosso alcance face a tais objetos. Se quero um apartamento mas não tenho dinheiro para comprá-lo, o objeto de minha necessidade é o apartamento, e a medida de minha possibilidade é o dinheiro que me falta. É muito fácil compreender como a falta de dinheiro representa um bloqueio falso, fictício, á satisfação de meu desejo. Na realidade posso ter o apartamento, mas certas convenções sociais, que respeito de modo mais ou menos acrítico, me impedem de possuí-lo. Ao mesmo tempo, se me interrogo a respeito da minha necessidade face ao apartamento, essa também se dissolve.

O apartamento é um símbolo de status social, ou resultado de certas convenções visando ao gosto que seriam, em outras condições, muito discutíveis, e que nem sempre me possibilitam morar satisfatoriamente. A minha necessidade se revela, portanto, como uma falsa necessidade, assim como o bloqueio pela falta de dinheiro das minhas possibilidades era um bloqueio falso. Onde se encontram, então, minhas necessidades e minhas possibilidades? Como compreenderemos o que e Razão?

Marcuse muito se preocupa com este problema ao longo de toda a sua obra, sempre polêmica.

No livro Ideologia da Sociedade Industrial, Marcuse repete a crítica ao racionalismo da sociedade moderna, e tenta ao mesmo tempo esboçar o caminho que poderá nos afastar dele. O caminho será, por um aspecto, a contestação da sociedade pelos marginais que a sociedade desprezou ou não conseguiu beneficiar. Será por outro aspecto o desenvolvimento extremo da tecnologia, que deverá ter, segundo Marx e Marcuse, efeitos revolucionários. Quais são estes efeitos? O problema da sociedade moderna é a invasão da mentalidade mercantilista e quantificadora a todos os domínios do pensamento.

Essa mentalidade se representa economicamente pelo valor de troca, ligado de modo íntimo aos processos de alienação do homem. E, segundo Marx, com o desenvolvimento extremo da tecnologia "a forma de produção assente no valor de troca sucumbirá". A sociedade moderna, sentindo, que sua base a tecnologia - contém seu rompimento, age repressivamente para evitar este avanço extremo. Marcuse tinha esperança de que não.

Biografia completa aqui e aqui

domingo, 27 de julho de 2008

Richard Gregg - biografia e o seu livro "O valor da Simplicidade Voluntária" de 1936 (em Inglês)

Richard Bartlett Gregg (1885–1974) was an American social philosopher said to be "the first American to develop a substantial theory of nonviolent resistance" and an influence on the thinking of Martin Luther King, Jr, Aldous Huxley,  civil-rights theorist Bayard Rustin,  and pacifist and socialist reformer Jessie Wallace Hughan. Gregg's ideas also influenced the Peace Pledge Union in 1930s Britain, although by 1937 most of the PPU had moved away from Gregg's ideas.

After graduating from
Harvard, Gregg sailed to India on January 1, 1925 to learn about Indian culture and to seek out Gandhi. His publications include Gandhiji's Satyagraha or non-violent resistance, published in 1930, and The Power of Non-Violence, from 1934. His revision, The Power of Non-Violence (1960) included a foreword by King. The book was republished in several other editions, including a Swedish translation in 1936 (as Den nya maktfaktorn: motstånd utan våld). Gregg's 1939 pamphlet Pacifist Program in time of war: threatened war, or fascism was a program detailing how American pacifists could use non-violence to oppose war and fascism in the United States. In the 1940s Gregg became interested in ecology and organic farming, and spent several years living on a farm owned by Scott and Helen Nearing. [9 Gregg was also author of other books, including The Compass of Civilization, and the essay The Value of Voluntary Simplicity (Wallingford, PA: Pendle Hill, 1936), a philosophical essay on the need and benefits of living more simply. He coined the term "voluntary simplicity".
  • Discussion of Gregg's Power of Non-Violence
  • Memorial Commentary on Richard B. Gregg (pdf)
  • Richard Gregg materials in the South Asian American Digital Archive (SAADA)
  • Finding aid to the Richard Bartlett Gregg papers at the University of Pennsylvania Libraries
  • sábado, 26 de julho de 2008

    Nova vigília internacional por Tibete Livre



    Dia 23 de Agosto, às 21 h locais e em todo o mundo, acenda uma vela por Tibete. Mais informações em Candle4Tibet..
    Aqui na página do Youtube, editada pelo mentor deste Projecto, David Califa, podem ficar com uma pequena ideia dos vários vídeos realizados, em todo o mundo, durante a vigília no passado dia 7 de Agosto.Os sons, as músicas e as pessoas que nelas participaram são mais poderosos que quaisquer palavras.


    sexta-feira, 25 de julho de 2008

    Aeroplano bolha movido a energia solar vs PAV Challenge

    Roland Cernat, recem-licenciado pela Universidade de Ciências Aplicadas Schwäbisch Gmünd / Alemanha criou este avião com o meio ambiente em mente.. O modelo que podem visualizar com mais detalhe ganhou o primeiro prémio no prestigiado Lucky Strike Junior Designer Award.
    Oxalá tenha bons voos, pois parece-me uma aposta muito viável e muito mais competitivo em relação ao PAV (Personal Air Vehicle) Challenge, apoiado pela NASA (ver vídeo de promoção e página oficial).

    Sítio recomendado
    Ecogeek


    quinta-feira, 24 de julho de 2008

    Não assista aos Jogos Olímpicos de Pequim

    Compre o CD a favor da libertação do povo Tibetano e associe-se à campanha mundial: Candle4Tibet
    Entre 8 a 24 de Agosto. Sei que é pedir muito. Tibete e os Tibetanos lembram outros povos que não têm Paz e onde a Paz não flui a sua energia positiva e fraterna: China, Birmânia, Angola, Sudão, Nigéria, Irão, Afeganistão, África do Sul, etc...
    Somos uma grande família global. Demos as Nossas Mãos pela Paz!
    TEXTOS e RELATÓRIOS

    1. Por uma China mais verde (relatório da Greenpeace Julho 2008 pdf)
    2. RTP vai transmitir 500 horas de Jogos Olímpicos
    Diário Económico,05 de Maio de 2008

    3. Sitaraman, Srini, Explaining China's Continued Resistance Towards Human Rights Norms: A Historical Legal Analysis,Program in Arms Control, Disarmament, and International Security, University of Illinois, Junho de 2008.
    4.
    China jails rights activist outspoken on Tibet
    5. Racial Discrimination in Tibet (2000) Tibetan Centre for Human Rights and Democracy
    6.
    Olympic Watch: Human Rights in China and Beijing 2008


    quarta-feira, 23 de julho de 2008

    Animais de companhia - não os abandone no Verão ou adopte um, caso ainda não tenha



    As principais mensagens estão aqui ditas pelo psiquiatra José Gameiro a reter: um animal de companhia é um elo de ligação na família; o abandono é egoísmo; o abandono é crime pois a maioria dos animais abandonados são enviados para o canil e não sendo adoptados enfrentam a morte.



    domingo, 20 de julho de 2008

    Dr. Eric Chivian on Biodiversity, Health, and Climate Change

    Dr. Chivian looks at polar bears and cone snails - species whose survival is threatened by climate change and what medical science stands to lose if these species disappear. Specifically, Chivian looks at how studying polar bears in their native habitat could help scientists address such human health issues as osteoporosis, renal disease, and obesity related diabetes. He describes how cones snails contribute significantly to the development of medication for chronic pain in patients who no longer respond to opiates.

    Mais Informações
    Harvad University
    Wikipedia

    sábado, 19 de julho de 2008

    Sessão da Noite- Opus Dei - Uma Cruzada Silenciosa e Pujante em Portugal


    Já vi jovens "bem formados" na FNAC e trajados de acordo com as regras da Opus Dei-  fiquei abismado. Pareciam aliens... Eles estão cá. E de certeza com as mesmas características relatadas neste documentário chileno.Refere o documentário que as obras escapam ao fisco, os membros são obrigados ao secretismo. O seu fundador esteve no Chile, antes de subir ao poder Augusto Pinochet. As reuniões com ele eram à porta fechada. A maioria dos altos membros têm em média muitos filhos e são da alta finança.Os pais (também eles professores universitários, advogados, banqueiros) auto-elogiam e crêm que os seus filhos serão os melhores, os mais bem preparados, os eleitos para a santificação do mundo (também eles que um dia serão entre eles chefes de estado e estarão nos parlamentos). Os jovens que vivem nessas residências da OPUS DEI não falam nem conhecem os nomes das auxiliares.E as auxiliares entregam o seu salário à obra...onde já começo a ver isto reproduzido mais ou menos pelo País fora?

    P.S.
    Em 2005 o sítio portugues ainda tinha uma mini lista dos membros da OPUS Dei em Portugal, mas agora nem isso tem. O que vale é que fui ver aos arquivos e em Portugal são conhecidos como membros supranumerários: Narana Coissoró, João Rebelo, Ramalho Eanes, Manuela Eanes, Assunção Jardim Gonçalves, Smitá Coissoró, Paulo Teixeira Pinto, Afonso Braga da Cruz, e António Lobo Xavier. 
    São membros da Prelatura: Bagão Félix e Jardim Gonçalves.

    sexta-feira, 18 de julho de 2008

    Reverse Graffiti - mais arte ecológica!



    Ou como transformar paredes sujas da poluição das cidades e poeiras em obras de arte urbana e com mensagens ecológicas. A arte de Paul Moose e produtos de limpeza amigos do ambiente unidos neste projecto. Sítios a visitar Reverse Graffiti Project e Green Works.



    quarta-feira, 16 de julho de 2008

    Trafficopoli - um jogo educativo italiano


    Trafficopoli é um divertido jogo de tabuleiro e educativo adequado para todas as crianças e adultos.
    Joga 3 a 8 jogadores, que podem optar por um indivíduo ou equipas. É composto de 157 cartões: 61 são uma forma hexagonal e visor colorido que representa a cidade, 96 são cartas que representam 4 tipos de meios de comunicação (bicicletas, motocicletas, carros e transportes públicos) e seus acessórios.
    Os meios de comunicação social e os acessórios são todos amigos do ambiente, com descrições sobre estes cartões muito engraçadas, bem como eco-educativas.
    A duração do jogo é de cerca de uma hora.
    As instruções são explicadas, num VIDEO, directamente pelo autor, Sergio Tonon.
    Graças ao livro de 32 páginas será possível transpor o jogo para a realidade.
    Oxalá em Portugal surja esta ideia. Quem quiser pode encomendar directamente jogo + livro através da excelente e- revista AAM Terra Nuova





    sexta-feira, 11 de julho de 2008

    Dia Mundial da População - Arthur Lyon Dhal e O Princípio Ecológico

    O Dia Mundial da População celebra-se a 11 de Julho.
    Foi a 11 de julho de 1987 que o contador mundial de população chegou aos cinco biliões de pessoas, inspirando a ONU a criar este dia em 1989 e a comemorar anualmente esta efeméride a 11 de Julho.
    Estima-se que a evolução da população mundial registe um aumento anual de 75 milhões de pessoas. Quanto à distribuição da população mundial, a maior parte da população encontra-se na Ásia, com a China e a Índia no topo dos países mais populosos do mundo.

    O objetivo do Dia Mundial da População é alertar para as questões do planeamento e do desenvolvimento populacional, quando muita gente não tem acesso a cuidados de saúde, por exemplo. Outro problema sério é a escassez dos alimentos, sendo que a sua distribuição é desequilibrada, com abundância nos países desenvolvidos e carência nos países subdesenvolvidos. A poluição, as epidemias e o uso de contracetivos são outros temas relacionados com a população mundial abordados pela ONU nesta data.

    Sobre o Valor das Pessoas (extractos do livro, editado originalmente em 1996 e publicado entre nós pelo Instituto Piaget em 1999)

    1. A dimensão humana deve sempre regressar ao seu lugar central no nosso conceito de sociedade, através do reconhecimento da importância do capital humano no funcionamento de todos os ecos sociais. Além disso, as pessoas não devem ser consideradas como máquinas unidimensionais produtoras e consumistas, mas em toda a sua complexidade cultural, social, emocional e espiritual que determina o seu funcionamento na sociedade.

    2. Livre circulação de bens e de capital são encorajados, mas não a livre circulação de pessoas. Os países industrializados preocupam-se com o facto de terem uma taxa de natalidade em declínio e poderão oferecer incentivos fiscais para se ter mais filhos, mas nunca considerariam encher as vilas rurais despovoadas com o excesso de chineses ou africanos.

    Arthur Dhal (ver a sua
    página pessoal) é um biólogo marinho formado em Stanford e na Universidade da Califórnia, trabalhou como consultor ecologista numa larga área de tópicos ambientais e científicos para vários governos e organizações internacionais, incluindo a IUCN, UNESCO e o Programa das Áreas Oceânicas e Costeiras do Programa do Ambiente das Nações Unidas (UNEP).


    quinta-feira, 10 de julho de 2008

    Venha a Monforte este sábado 12 de Julho dizer NÃO aos campos experimentais de transgénicos!


    Faça-se ouvir contra o cultivo de OGM não testados em zonas de Rede Natura!
    Exija que o governo respeite as zonas livres criadas democraticamente!

    A Plataforma Transgénicos Fora convida todos os interessados em proteger a agricultura e alimentação portuguesas a participar numa acção de protesto no sábado 12 de Julho de 2008 em Monforte em frente à herdade onde foram autorizados três anos de testes experimentais de milho transgénico.
    O ponto de encontro é às 10h da manhã no parque de merendas da praia fluvial de Monforte, junto à ponte antiga sobre a Ribeira Grande. O acesso está sinalizado a partir de Monforte (há parque de estacionamento no local) e no mapa abaixo pode ver-se o local exacto no canto superior esquerdo.
    Quem estiver disponível para ajudar à preparação da acção (pintar faixas, vestir espantalhos...) está convidado a acampar já a partir de sexta de manhã, e até domingo, no mesmo local (existem sanitários e apoio de cozinha).

    Todos contam - contamos consigo!

    400 dos maiores especialistas mundiais arrasam os OGM e conheça o trabalho da IAASTD


    quarta-feira, 9 de julho de 2008

    Os 10 Mandamentos do ecoturista e os 5 mandamentos do ecoturismo

    Cartaz feito por João Soares

    O ecoturismo é uma das atividades que mais crescem no mundo, incentivada pela conscientização cada vez maior do viajante em busca de um consumo e qualidade de vida mais responsáveis. Em 2002, a Organização Mundial do Turismo (OMT) definiu ecoturismo como sendo “Todas as formas de turismo em que a motivação principal do turista é a observação e apreciação da natureza, de forma a contribuir para a sua preservação e minimizar os impactos negativos no meio ambiente natural e sociocultural onde se desenvolve (OMT, 2002).”

    Além da preservação e educação ambiental, o cuidado com a participação e envolvimento das comunidades locais é uma característica cada vez mais presente no ecoturismo, resultado do entendimento de que elas fazem parte do ciclo do desenvolvimento sustentável. De acordo com a The International Ecotourism Society (TIES), “ecoturismo significa unir conservação, comunidades e turismo sustentável” e três fundamentos básicos o regem:
    • ele é não destrutivo e não extrativo
    • cria consciência ecológica
    • detém valores ecocêntricos e ética na relação com a natureza
    Desde 1990 a TIES vem desenvolvendo o que considera os princípios para um ecoturismo autêntico, que podem ser adotados tanto por viajantes, quanto por empresas de turismo. Veja quais são:

    Os Dez Mandamentos do ecoturista

    1. Amarás a Natureza sobre todas as coisas.
    2. Honrarás e preservarás o bom humor;
    3. Estarás sempre pronto a colaborar;
    4. Serás capaz de te adaptares aos imprevistos;
    5. Utilizarás os serviços dos guias credenciados;
    6. Não reclamarás;
    7. Não invocarás o nome do guia em vão, para perguntar se falta muito para chegar;
    8. Não considerarás chuvas, atoleiros ou pontes quebradas como imprevistos;
    9. Não poluirás o meio-ambiente.
    10. Preserve e Respeite a biodiversidade, não polua as nascentes,os leitos e margens, não destrua as matas ciliares, não degrade o meio ambiente, e compartilhe a sustentabilidade.

    Cinco Mandamentos do Ecoturismo
    1. Da natureza nada se tira a não ser fotos.
    2. Nada se deixa a não ser pegadas.
    3. Nada se leva a não ser recordações.
    4. Andar em silêncio e em grupos pequenos.
    5. Respeitar uma distância dos animais, evitando gerar stress.

    Referências
    Definição apresentada no site oficial da International Ecotourism Society (inglês) 24-12-2007.

    Canivete Suíço da Paz


    Ideia inovadora e original! Desenhado por Qian Jiang, Yiying Wu e Carolina Flores [Yanko designs], contem os primeiros socorros básicos e inclui um assobio.



    segunda-feira, 7 de julho de 2008

    PowerUp 3D - O jogo da energia


    Jogo pedagógico sobre energias alternativas e conservação de energia.Constantemente actualizado e muito interactivo. Descarregue e veja instruções em Power Up Game Org




    sábado, 5 de julho de 2008

    Queijo parmesão com OGM?


    Alimentem a vaquinha que dá leite para o queijo parmesão com soja OGM e vejam o resultado.
    Joguem aqui: Greenpeace Itália
    Um abraço à Rita, pela informação.



    quinta-feira, 3 de julho de 2008

    Garranos abatidos a tiro no Alto Minho , Sabor amargo e Monforte na expectativa


    1. Alto Minho - assassinato de garranos do Gerês vs Verde Eufémia
    Entre estes dois fenómenos o que se passa com a chacina dos garranos no Gerês esses sim são actos terroristas e não entram nos relatórios da Interpol...e já acontecem há muito tempo.São continuados, ao contrário da manifestação simbólica Verde Eufémia, que foi só um dia.
    Os garranos selvagens ocorrem, ainda, na zona da Mata de Albergaria no Parque Nacional da Peneda-Gerês.
    Esta matança dos garranos, já de si ameaçados de extinção, estará relacionada com quezílias entre vizinhos por danos provocados nas populações e ao que parece é difícil de saber quem eram os donos desses cavalos pois não estão marcados.
    Mas não se faz conservação da Natureza sem as pessoas.É com as pessoas que temos que desenvolver o trabalho. É um crime sem nome e que a polícia e o Governo deve investigar a fundo, descobrir os autores e puni-los.
    Em relação à Verde Eufémia, no entanto, o proprietário foi logo socorrido pelo Estado.
    Neste caso, o Estado parece pouco actuante.São...garranos.
    Vamos entranhando até que um dia os garranos sejam também alimentados com pastagens transgénicas.
    Ler mais:
    Já 15 os cavalos selvagens mortos no Minho, 26.06.08, O Primeiro de Janeiro

    2. Sabor amargo
    Mais uma perda de biodiversidade e um vale de excepcional condições de refúgio da nossa vida selvagem...mais abaixo as vinhas sobem Douro Internacional acima, espantando a avifauna dessa região...

    Ler mais: Providência cautelar quer travar barragem no rio Sabor,30.06.2008, Carlos Pessoa

    3. Monforte na expectativa
    Embora adiada para data a anunciar, espera-se alguma boa novidade para que não se realizem os testes OGM nessa região.





    quarta-feira, 2 de julho de 2008

    Crime nos Telemóveis


    Mobile Phone Radiation: Is it safe or not? (Olle Johansson CV)





    Por José Carlos Marques, Campo Aberto, Porto


    Para quem se escandalizar com a palavra crime especifico que se trata de homicídio potencial (e estatisticamente muito provável), devido a negligência ou interesse, por recusa de aplicação do
    princípio de precaução já consagrado em termos gerais na legislação europeia e com carácter ético irrecusável, negligência e interesse que incide sobre a parte mais fraca da sociedade, as crianças.

    Há vários anos já que o governo inglês advertiu para a necessidade de proteger as crianças nesta matéria. Alguém viu em Portugal ser alguma vez dado destaque às recomendações de que fala a Direcção-Geral de Saúde, com relevo à altura do que está em causa? Alguém viu, mesmo a
    nível internacional, as empresas de telemóveis a publicitarem com o devido destaque, ou até sem ele, qualquer recomendação de prudência relativa ao uso de telemóveis por crianças?

    Diga-se aliás que em adultos há também indícios suficientes para uma aplicação do princípio de precaução, pelo menos ao nível de obrigar as empresas a publicitarem com destaque que esses indícios existem. Mas repete-se (nada de novo sob o sol) a história do amianto e do tabaco. E entretanto os poucos peritos que ousam não baixar os braços no estudo e na denúncia dos perigos são perseguidos ou caluniados por poderes mascarados (conceito chave em As Constituições Democráticas do Terceiro Milénio, de Jean Pignero, definido logo nas páginas iniciais).

    Ler Notícia
    Diário de Notícias de 16 de Junho de 2008

    Saúde. Especialistas internacionais falam em indicadores inquietantes

    Direcção-Geral de Saúde diz que para já não há motivo para alterar a lei

    Um grupo de 20 especialistas internacionais publicou ontem, na imprensa francesa, um alerta sobre os efeitos dos telemóveis onde, entre outras recomendações, pede a proibição do uso deste equipamento por crianças, excepto em situações de emergência. A Direcção-Geral de Saúde (DGS) diz que ainda não existem provas que justifiquem uma medida desta natureza, mas renova as recomendações de que o uso por menores seja restrito.

    Os autores do alerta, coordenado por David Servan-Schreiber, professor de psiquiatria na Universidade de Pittsburgh, concordam que não existem evidências de que os telemóveis sejam prejudiciais à saúde, mas avisam que os riscos justificam medidas preventivas: Estamos na mesma situação que há 50 anos com o amianto e o tabaco. Ou não se faz nada e se aceita um risco ou se admite que há um leque de argumentos científicos inquietantes, diz Thierry Bouillet, especialista em cancro no hospital Avicenne de Bobigny (França).

    Calor do telemóvel é perigoso

    Contactado pelo DN, José Robalo, subdirector-geral de Saúde, explicou que, para sugerir alterações legislativas, a DGS teria primeiro de se basear em factos e, apesar de haver alguns estudos que apontam para uma ligeira subida de incidência de tumores em utilizadores de telemóveis, ainda não foi possível, a nível experimental, perceber qual foi o mecanismo de acção que levou a esse aparecimento. Há suspeitas, mas não casos comprovados, resumiu. Porém, frisou, existem uma série de recomendações, subscritas pela DGS, para evitar a utilização frequente de telemóveis por crianças.

    Até porque há outras suspeitas, relacionadas com as consequências do calor emitido por estes aparelhos: Nas crianças, há uma diminuição da espessura do osso da calote [crânio], que muitas vezes ainda não está completamente estruturado, explicou. Os telemóveis aquecem e esse calor pode ser transmitido para dentro da caixa craniana, avisou, referindo que o aumento de temperatura poder ser de um a dois graus. Porém, esta é outra questão sobre a qual ainda não há provas conclusivas. A DGS baseia as suas recomendações em estudos
    próprios e nos relatórios da Comissão Europeia e da Organização Mundial de Saúde.