terça-feira, 10 de novembro de 2020

VERDE QUE MANCHA

VERDE QUE MANCHA from ZERØ on Vimeo.


Em plena crise climática, com aumento médio da temperatura do planeta, e, concomitantemente a necessidade de preservação de um bem precioso como é a água, a paisagem alentejana muda com os incentivos governamentais em monoculturas superintensivas, o olival superintensivo.
Vejam o filme da “Vivo” uma organização informal de cidadãos que lutam pela continuidade da vida das populações alentejanas.
Estas monoculturas intensivas para além de conduzirem a uma alteração da paisagem, devido à necessidade da sua mecanização, conduzem a um empobrecimento dos solos devido ao uso de pesticidas e fertilizantes, para além, do elevado consumo de água do Alqueva. Como consequência assistimos à perda de biodiversidade quer da flora, quer da fauna, e a alteração de todo um ecossistema.
Adicionalmente, a indústria associada ao tratamento dos resíduos dos lagares diminui consideravelmente a qualidade do ar, conduzindo a um agravamento da saúde das populações.
Em suma, o Alentejo clama pela vossa ajuda para continuar a viver, por favor, divulgue a informação e ajude a “Vivo” a salvar o Alentejo

Sem comentários: