segunda-feira, 14 de maio de 2018

Linha do Tempo em Educação Ambiental - A Carta de Belgrado, 1975

Fonte: Fios de Gaia

Em 1975, por iniciativa da ONU e da UNESCO realiza-se, em Belgrado, um seminário internacional sobre educação ambiental no qual foi aprovada a Carta de Belgrado, um documento muito importante que ainda hoje devia ser alvo de reflexão. 

Contou com especialistas de 65 países e representa um marco conceptual no tratamento das questões ambientais até hoje. O documento inicia ponderando que todo crescimento e progresso tecnológico alcançados, ainda que tenham beneficiado muitas pessoas, também provocaram graves consequências socioambientais. Que este cenário, gerado principalmente por um número pequeno de países, afeta toda a humanidade.

Entende como essencial a reconstrução dos processos e sistemas de educação, tendo em vista a formulação desta nova ética de desenvolvimento e da ordem económica mundial.

"Governos e formuladores de políticas podem ordenar mudanças e novas abordagens para o desenvolvimento, podem começar a melhorar as condições de convívio do mundo, mas tudo isso não passa de soluções de curto prazo, a menos que a juventude mundial receba um novo tipo de educação. Esta implicará um novo e produtivo relacionamento entre estudantes e professores, entre escolas e comunidades, e entre o sistema educacional e a sociedade em geral."

Atende ainda à Recomendação nº 96 da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano (Conferência de Estocolmo). Realizada em 1972, esta Conferência suscitou um maior desenvolvimento da Educação Ambiental, considerada essencial para a superação da crise ambiental mundial.

Neste contexto, a Carta de Belgrado corresponde ao início da implantação do Programa Internacional de Educação Ambiental – PIEA, propondo uma estrutura global para a educação ambiental. Referido programa teve sua primeira fase concluída posteriormente no âmbito da Conferência Intergovernamental de Educação Ambiental, ocorrida em Tbilisi, Geórgia, em 1977.

Ler texto completo em Fios de Gaia

Acesse: 

Sem comentários: