sexta-feira, 8 de abril de 2011

Ser Paz para Ter Paz



Questiono-me muito das carências actuais de justiça, essa sim propicia Paz. Não estamos a dar sinais claros às novas gerações para vidas cooperativas, em comunidades. Também não resultará muito procurar ecovilas...a matriz é a mesma; o nosso planeta, mas o cidadão comum o que "vê" é a casa, as finanças, a alimentação, etc... Estão a fugir das nossas mãos colmatar as condições/ origens da tanta irritação/violência/submissão. A diversidade de escolha é importante: ecovilas, parques naturais, reservas da biodiversidade, telecomunicações, mobilidade, regimes políticos, ONG, empreendorismo social, agenda 21...Mas o peso capitalista é na minha óptica o maior responsável: descuida-se de exigir primeiro o respeito pela autodeterminação dos povos, pelos elementares direitos à greve, à emancipação da mulher, aos diversos planos de protecção ambiental. Os mercados estão cegos e sorvedouros de piratas. Por outro lado a confiança nos instrumentos ditos "normais" está a falhar. Hoje creio, ou que me debato frequentemente é que colectivamente estamos a cair no cinismo. E na desagregação completa da sociedade. A linguagem, uma das mais belas conquistas da biologia está em retrocesso nas sociedades/colónias humanas.
Atentem neste vídeo. Está tudo dito.

1 comentário:

Antonio Gabriel Cerqueira Gonçalves disse...

Olá João Soares, tudo bem? Recentemente entrei em contato com você via e-mail, recebeu minha mensagem? Abraços aqui do Brasil, aguardo respostas suas.