sábado, 6 de fevereiro de 2016

Tuxedomoon - In a Manner of Speaking


In a manner of speaking
I just want to say
That I could never forget the way
You told me everything
By saying nothing

In a manner of speaking
I don't understand
How love in silence becomes reprimand
But the way that i feel about you
Is beyond words

O give me the words
Give me the words
That tell me nothing
O give me the words
Give me the words
That tell me everything

In a manner of speaking
Semantics won't do
In this life that we live we live we only make do
And the way that we feel
Might have to be sacrified

So in a manner of speaking
I just want to say
That just like you I should find a way
To tell you everything
By saying nothing.

O give me the words
Give me the words
That tell me nothing
O give me the words
Give me the words
Give me the words

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Ted Talk- Donald Hoffman: Do we see reality as it is?


Cognitive scientist Donald Hoffman is trying to answer a big question: Do we experience the world as it really is ... or as we need it to be? In this ever so slightly mind-blowing talk, he ponders how our minds construct reality for us.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

(Eco) Poema de Maria Eugénia Cunhal (1927 - 2015)

Este poema está sempre a comover-me. E já o li tantas vezes!..
Picasso

Quando Vieres

Quando vieres
Encontrarás tudo como quando partiste.
A mãe bordará a um canto da sala...
Apenas os cabelos mais brancos
E o olhar mais cansado.
O pai fumará o cigarro depois do jantar
E lerá o jornal.
Quando vieres
Só não encontrarás aquela menina de saias curtas
E cabelos entrançados
Que deixaste um dia.
Mas os meus filhos brincarão nos teus joelhos
Como se te tivessem sempre conhecido.
Quando vieres
nenhum de nós dirá nada
mas a mãe largará o bordado
o pai largará o jornal
as crianças os brinquedos
e abriremos para ti os nossos corações.
Pois quando tu vieres
Não és só tu que vens
É todo um mundo novo que despontará lá fora
Quando vieres.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Encontros improváveis- Nietzsche e Of Monsters And Men - "Wolves Without Teeth"


"...Thus passes the day of the virtuous. And when night comes I guard well against calling sleep. For sleep, who is the master of the virtues, does not want to be called..."
- Nietzsche, Thus Spoke Zarathustra

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

"Os professores perderam o controle total sobre o seu processo de trabalho». Entrevista com a investigadora Kênia Miranda


©Costas Balafas, Greece, 1950s
«... para que o Capital possa avançar em seu projecto de converter a educação em mercadoria e em conformação social, ele necessariamente precisa expropriar o conhecimento daqueles que conduzem o processo educativo. Os professores são os principais alvos, há uma tendência crescente a uma perda progressiva do controle sobre o seu processo de trabalho. (...)»

Ler entrevista na íntegra em Rubra, 17 de Dezembro de 2015

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Ted Talk- "Slow TV" por Thomas Hellum: "The world's most boring television ... and why it's hilariously addictive"


You've heard about slow food. Now here's slow ... TV? In this very funny talk, Norwegian television producer Thomas Hellum shares how he and his team began to broadcast long, boring events, often live — and found a rapt audience. Shows include a 7-hour train journey, an 18-hour fishing expedition and a 5.5-day ferry voyage along the coast of Norway. The results are both beautiful and fascinating. Really.

Dossier Bioterra Cinema e TV verde - consultar aqui

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

(Eco) Pensamento da Semana- Mia Couto


"Sim, que a verdadeira bondade não se mede em tempo de fartura mas quando a fome dança no corpo dos homens."~Mia Couto,
in "Vozes Anoitecidas" (excerto retirado da sua página)
@Fabio Marcato

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Encontros improváveis- Charles Bukovsky e Coil- "Panic"


quatro e meia da manhã
(Tradução: Jorge Wanderley)

os barulhos do mundo
com passarinhos vermelhos,
são quatro e meia da
manhã,
são sempre

quatro e meia da manhã,
e eu escuto
meus amigos:
os lixeiros
e os ladrões
e gatos sonhando com
minhocas,

e minhocas sonhando
os ossos
do meu amor,
e eu não posso dormir
e logo vai amanhecer,

os trabalhadores vão se levantar
e eles vão procurar por mim
no estaleiro
e dirão:
“ele tá bêbado de novo,
mas eu estarei adormecido,
finalmente, no meio das garrafas e
da luz do sol,

toda a escuridão acabada,
os braços abertos como
uma cruz,
os passarinhos vermelhos
voando,
voando,
rosas se abrindo no fumo
e
como algo esfaqueado e
cicatrizando,
como 40 páginas de um romance ruim,
um sorriso bem na
minha cara de idiota.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A Revolução dos Alfabetos


Este documentário apresentado na TV Escola, "A História da Palavra" investiga o panorama da origem do código escrito ocidental e o seu processo evolutivo.

Gostou? Compartilhe: