quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Quem deu o nome a África?


A África é uma Península triangular ligada à Ásia pelo istmo de Suez cortado pelo canal do mesmo nome. Limitada ao Norte pelo Mar Mediterrâneo, ao Sul pelos Oceanos, Atlântico e Índico, ao Leste pelo Mar Vermelho e Oceano Índico e ao Oeste pelo Oceano Atlântico. É o segundo maior continente do mundo. É 3 vezes maior que a Europa, 4 vezes maior que o Brasil e 412 vezes maior que Portugal continental. Tem uma área de 30.27 milhões km2, perdendo apenas para o continente Asiático que tem de superfície 44.30 milhões km2.
A divisão política do continente africano compreende 53 países independentes, com uma população total estimada hoje em mais de 681 milhõesde seres humanos. Mas, a curiosidade que caracteriza este pequeno artigo,não se prende tão somente aos dados da situação geográfica do continente nemaos dados demográficos acima descritos, pois a maioria de nós já tem/temosconhecimento dos mesmos nos bancos escolares, pelo menos os que tiveram aoportunidade de ter uma instrução um pouco mais extensa. África! O que vem a significar esta palavrinha de 6 letras que na classificação da língua portuguesa é uma palavra tónica por possuir umacento que se pronuncia com mais intensidade; trissilábica, por possuir trêss ílabas e proparoxítona, por ter o acento tónico na antepenúltima sílaba?

Eis a questão!

É de extrema importância ressaltar antes de tudo que, o nome do nossocontinente não foge à regra, pois a maioria dos nomes de países que hojeconstituem o continente negro, embora oriundos de palavras genuinamentelocais, surgiu/surgiram dos primeiros contactos dos colonizadores com aspopulações autóctones. Podemos dizer, de um mal-entendido linguístico. O nativo, indagado alguma coisa assim : Como se chama? Como se chama estelugar? Ele, sem entender absolutamente nada, responde algo que lhe pareceuter sido perguntado, associando o som ouvido à palavra que conhece. E, oinquiridor, que também desconhece totalmente a língua do aborígene e, ávidode ter uma resposta, capta o som, balbucia a palavra e escreve de sua formao som ouvido sem mais nem menos. O que importa é algo registado!
A palavra África deriva de Avringa ou Afrig, nome da tribo Berbere que na antiguidade habitava o Norte do continente.Os berberes são descendentes dos antigos Númidas que habitavam a região chamada Numídia, entre o país de Cartago e actual Mauritânia, conquistadapelos romanos ao rei Jugurta, cuja capital era a cidade de Cirta, hoje Constantina, na Argélia.
Também se obtem África de Pharikia que quer dizer país dos frutos locução do império romano e mantida pelos muçulmanos. Começou a ser usado pelos romanos a partir da conquista da cidade de Cartago para designar províncias a Noroeste do Mar Mediterrâneo africano, onde hoje situam-se a Tunísia e a Argélia. Recorda-se que Cartago foi uma das famosas cidades de antiguidade da África. Foi fundada no séc.VII a. C. pelos Fenícios, sob a direcção da Princesa Tiriana Dido ou Elisa,filha de Muto, rei de Tiro, (actual cidade de Sur no Líbano) que após amorte do seu marido Siqueu, fugiu para a África e fundou a cidade de Cartago numa península, perto da qual se encontra hoje a cidade de Túnis, capital daTunísia. Em pouco tempo, Cartago tornou-se capital de uma poderosa república marítima, substituindo-se a cidade de Tiro no Ocidente. Criou colônias na Sicília e na actual Espanha. Enviou navegadores ao Atlântico Norte.Entretanto, as colônias cartagineses na Sicília suscitaram vistas ambiciosasdos romanos que cultivaram uma ferrenha rivalidade que culminou com as 3guerras chamadas Púnicas.
No final da 2ª guerra púnica, os romanos conseguiram apoderar-se da bela e sumptuosa cidade de Cartago, sob o comando de Cipião - o Africano, apesar dos esforços empreendidos por Aníbal para impedir que os romanos apoderassem dela. Cartago restabeleceu-se dessa derrota, mas foi definitivamente destruída na 3ª guerra púnica, por Cipião Emiliano. Reconstruída pouco depois, floresceu novamente do séc. I a VI da nossa era e foi uma verdadeiracapital da África romana. Mas, no ano 698 caiu nas mãos dos árabes e começou a decadência.
O bispo Isidoro, de Sevilha, no séc. VI, no seu dicionário de etimologia, diz que, em latim, Aprica, significa ensolarado.
O historiador Leo Africanus (1488-1554), de Marrocos, sugere Apriké, isento de frio. E cita uma tradição, segundo a qual, Africus, uma chefe do Iémen, invadiu o Norte de África, no 2º milénio a.C. e aí fundou uma cidade: Afrikyah.
Por fim, no século XVI, com a necessidade dos Europeus de avançarem para o interior e para o sul do continente negro, o nome África generalizou-se para todo o continente que passou a chamar-se de "África".
A palavra África significa também: façanha, proeza, valentia, algo difícil de se realizar. Este segundo e pseudo significado, embora recheado de um certo preconceito de um lado, de outro dignifica-nos como africanos, pois mostra a nítida resistência à penetração estrangeira no interior do nosso continente e traduz a realidade verdadeira da época. Foi dado pelos Europeus expedicionários, principalmente os portugueses, como consequênciadas enormes dificuldades que tiveram em penetrar no interior do continente.
A resistência dos nativos causava aos estranhos e indesejáveis visitantes,baixas humanas e muitas vezes retrocediam à face das dificuldades e perigode serem dizimados pelo inimigo que eles mal conheciam e o pior de tudo,conheciam mal o seu terreno.Por isso, todos aqueles que se dispusessem a fazer parte das chamadas expedições em África eram considerados destemidos e valorosos militares,dispostos "a fazer uma África" isto é, a mostrar sua coragem, a guerrearem, enfrentando o incerto ou inimigo desconhecido. Portanto, estavamdispostos a "meter uma lança em África", que significa dizer, levar a cabo uma empresa difícil.

(Adaptado de  didinho.no.sapo.pt e Audácia, nº 477-Setembro 2010)

1 comentário:

Dona Sra. Urtigão disse...

Uau! adoro aprender coisas... Valeu, agradecida !