terça-feira, 13 de abril de 2021

O relatório da pesquisa “O mundo em 2030” da UNESCO destaca as preocupações dos jovens com as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade


Em 31 de março, a UNESCO publica seu novo relatório da Pesquisa “O Mundo em 2030”, que apresenta os resultados de uma pesquisa interativa e consulta que coleta respostas de mais de 15.000 pessoas em todo o mundo em 2020. O relatório fornece percepções globais sobre os desafios mais urgentes para a paz sociedades na próxima década, incluindo as preocupações específicas das pessoas e as soluções necessárias para superá-las. Isso fez parte de um novo processo de consulta com o objetivo de contribuir para a estratégia de médio prazo da organização.

O relatório mostra que as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade foram, de longe, o desafio mais selecionado, escolhido por 67% dos entrevistados. As pessoas que identificaram este desafio estavam mais preocupadas com o aumento de desastres naturais e condições meteorológicas extremas, perda de biodiversidade, risco de conflito ou violência, impactos nos oceanos e, criticamente, que havia cada vez menos esperança de resolver o problema. Para enfrentar este desafio, os entrevistados favoreceram o investimento em soluções verdes, educação sobre sustentabilidade, promoção da cooperação internacional e construção de confiança na ciência.

“São necessários maiores esforços para abordar as preocupações específicas das pessoas, e o multilateralismo é a maneira de fazer isso. Restaurar a confiança no multilateralismo requer a implementação de projetos concretos e impactantes, e isso está no cerne do papel de nossa Organização ”. Declarada Audrey Azoulay - Diretora Geral da UNESCO

O novo Relatório da Pesquisa “O Mundo em 2030” da UNESCO é baseado em mais de 15.000 respostas recebidas em uma pesquisa global realizada pela UNESCO em 2020. A pesquisa atraiu entrevistados mais jovens, 57% deles tinham menos de 35 anos de idade e 35% abaixo de 25.

As mudanças climáticas e a perda de biodiversidade foram, de longe, o maior desafio, escolhido por 67% dos entrevistados. Os entrevistados também destacaram violência e conflito (44%), discriminação e desigualdade (43%) e falta de comida, água e moradia (42%).

A educação saiu por cima como uma solução crucial para cada desafio - soluções baseadas em educação foram consideradas a solução número um para 7 dos 11 desafios incluídos na pesquisa, e a solução número dois para outros 3 desafios. A educação também foi destacada como a área da sociedade que mais precisa ser repensada à luz da pandemia COVID-19.

Embora 95% dos entrevistados tenham afirmado que a cooperação entre os países é importante para superar esses desafios, apenas um em cada quatro relatou estar confiante de que o mundo pode, em última instância, alcançá-lo.

O relatório completo de 68 páginas também contém insights sobre as preocupações específicas que geram ansiedade sobre cada um dos onze principais desafios globais e as soluções necessárias para superá-los na próxima década. Ele também analisa os resultados ao longo das linhas regionais, de gênero, idade e outras linhas demográficas, apresentando um retrato complexo e valioso do sentimento global sobre essas questões-chave.

Violência e conflito, discriminação e desigualdade e falta de comida, água e moradia completam os quatro primeiros desafios entre os onze desafios globais apresentados no relatório.

A educação em suas várias formas surgiu como uma solução crucial para as muitas dificuldades que enfrentamos, com apelos para o ensino da paz, não-violência, tolerância cultural, direitos humanos, educação para a mídia, ciência e tecnologia. Soluções baseadas na educação foram consideradas a solução número um para 7 dos 11 desafios incluídos na pesquisa.

Educação e aprendizagem também foi destacada como a área da sociedade que mais precisa ser repensada à luz da pandemia COVID-19 (47%), seguida pela relação entre humanos e natureza (45%) e cooperação científica e compartilhamento de pesquisas (40 %).

O relatório mostra que as pessoas exaltaram de forma esmagadora a importância da cooperação global: 95% dos entrevistados sentiram que a cooperação global era vital para superar nossos desafios globais (incluindo 80% que disseram que era “muito importante”). No entanto, apenas um em cada quatro entrevistados relatou sentir-se confiante de que o mundo seria capaz de enfrentar os seus desafios, incluindo apenas 4% que disseram estar “muito confiantes”. Tomados em conjunto, os resultados sugerem não uma falta de apreciação da importância do multilateralismo, mas sim uma crise de fé na sua eficácia.

A pesquisa O Mundo em 2030 foi um questionário aberto online realizado de maio a setembro de 2020. Ele foi disponibilizado em mais de 25 idiomas. O relatório completo de 68 páginas também analisa os resultados ao longo das linhas regionais, de género, idade e outras linhas demográficas, apresentando um retrato complexo e valioso do sentimento global sobre estas questões-chave.

Sem comentários: