quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Criação, Uso e Destruição de Moedas Locais Alternativas

Com os euros no bolso cada vez mais escassos, em diversos bairros, vilas e mercados da Europa - e além - têm circulado moedas locais alternativas. São iniciativas que trazem boas perspectivas sobre formas de revitalizar economias locais socialmente fragilizadas, resgatando de volta para a comunidade a cultura participativa e as trocas solidárias.



Na Grécia, em Volos
Em Volos, no centro do país, a população juntou-se para criar a sua própria moeda, o Tem, que junta já mais de 800 participantes.
"São estruturas que têm tanto de sociais como de económicas. Fomentam a proximidade e o apoio mútuo", diz uma das fundadoras neste artigo do Guardian, no qual são apresentados mais detalhes sobre a TEM.

Em Espanha, nos Países Catalães e na Galiza há  várias moedas alternativas a funcionar:
"Umha delas é a moeda eletrónica RES, a imagem da Rede belga RES, que tem já 15 anos e 5.000 pequenos comércios a a utilizarem. Cada transaçom tem umha taxa de 3,4%, que é reinvestida em créditos sem juros aos comércios membros e ofertas para as compradoras, visando criar um sistema de fidelizaçom e confiança.
Mas também há moedas físicas, como o Ecoseny e a Eco, que à sua vez tenhem formato virtual. A Eco é gerida pola Xarxa Eco de Tarragona, e a Ecoseny pola EcoXarca Montseny. As duas usam o programa CES (Community Exchange System), que dá infraestrutura a umhas 180 experiências semelhantes em todo o mundo [e 73 comunidades em Espanha ] . O objetivo é chegar a criar umha rede de usuárias a nível nacional, com umha moeda única. De momento é usada em feiras de troca de produtos e serviços, e contam com comércios que as aceitam."

No bairro de Brixton, em plena metrópole londrina, circula o Brixton Pound desde 2009, com o objectivo de apoiar os os pequenos negócios do bairro, e de promover as trocas e as produções locais.  É uma moeda complementar à libra, que pode ser usada por lojas e comerciantes independentes e locais. Para além da moeda, os "brixtonites" juntaram-se também numa plataforma online que junta "fazedores" com compradores locais;  ajuda quem quer aprender a fazer coisas a encontrar cursos e workshops; assim como disponibiliza um espaço de partilha de informação e esclarecimentos com tudo o que tenha a ver com fazer coisas.

Uma experiência semelhante na Alemanha, levou o chiemgauer a tornar-se nos últimos anos a moeda alternativa melhor sucedida do mundo. "Num mundo obcecado com a especulação e a poupança, não há dúvida que o chiemgauer recordou aos alemães para que serve essencialmente o dinheiro: pagar a pessoas pelos seus produtos e serviços, e criar emprego."

Na cidade de Ithaca, no estado de Nova Iorque, existe há 20 anos a moeda local Ithaca Hours, que hoje conta já com $100,000 em circulação. 

O objectivo é o mesmo: ajudar a manter o dinheiro na comunidade, contribuindo para a construção da sua própria economia. Pelo caminho, são fomentadas as ligações entre as pessoas, o bem estar, resiliência, e confiança da comunidade

Sem comentários: