segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Bairro suíço cria horta comunitária e cada morador planta um alimento para compartilhar com outros

O movimento sustentável não é recente, mas ainda vivemos numa sociedade essencialmente consumista que não se preocupa com o amanhã. Por isso nos chama atenção quando vemos o caso de um bairro de Genebra, Suíça.

Os moradores da Avenida Crozet podem colher alimentos frescos e orgânicos direto dos jardins da sua casa e do vizinho.

Fonte: yannarthusbertrand.org
É isso mesmo: cada família planta um alimento e compartilha com as outras

Além dos méritos de união comunitária, cada família pode usufruir de comida de verdade produzida na própria vizinhança. Isso não é demais?

O ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand fotografou uma bela imagem dessas hortas urbanas na região suíça — mostrada acima. Além da beleza estética — que não fica muito atrás de jardins — a imagem também serve de inspiração para outras comunidades se unirem para fazerem o mesmo.

Embora a ideia seja revolucionária aos nossos olhos, que consumimos tantos agrotóxicos, ela não é nova. As hortas urbanas começaram a ganhar força na Europa durante o século XIX com os esforços do físico Moritz Schreber.

O alemão propagava a ideia de que as cidades deveriam ter mais áreas verdes para o lazer das famílias. Aos poucos, as pessoas começaram a utilizar o quintal das suas casas para cultivar os seus próprios alimentos.

awebic-horta-comunitaria-2
Alemanha, Rússia e Suíça já estão nessa
Yann estima que o bairro da Avenida Crozet em Genebra seja apenas uma parte dos 50 mil hectares de hortas urbanas cultivadas no país. Na Rússia, mais de 72% das famílias que moram em áreas urbanas plantam parte de seus alimentos em seu próprio jardim. Somente em Berlim, na Alemanha, a estimativa é de que haja 80 mil “fazendeiros” urbanos.

O movimento tem nome: foodscaping

Foodscaping é o nome adotado por alguns, mas você também pode encontrar lugares falando de paisagismo comestível ou ainda agricultura de jardim. Com alimentos cada vez mais caros e opções insalubres, a prática tem-se popularizado.
No fundo, é mais um jeito elegante de tratar a hortinha que os nossos avós sempre cultivaram. Agora é preciso popularizar a ideia de trocar alimentos da horta com os vizinhos.
Pode dar uma espiada na Avenida Crozet e ter uma ideia como as hortas comunitárias se parecem vistas de cima através deste link do Google Maps.

Sem comentários: