segunda-feira, 20 de julho de 2015

NASA admite que vida na Terra pode ter começado no Alentejo. Entenda o porquê


(Imagem: Reprodução Ecos da Aldeia)
Artigo por Bruna Angélica Pelicioli Riboldi, 7 de Julho de 2015

Trabalhando em colaboração com pesquisadores portugueses da CEPGIST, investigadores da NASA estão a analisar as condições geológicas e térmicas na pequena vila de Cabeço de Vide (vila alentejana do concelho de Fronteira), cujas características ambientais (como o pH da água de 11,5) são idênticas somente às de uma região nos Estados Unidos e às do planeta Marte.

A NASA pesquisa desde 2008 as águas termais da região que considera que poder ter sido onde nasceu a vida na Terra. Já foram realizadas visitas de cientistas da agência espacial norte-americana em 2012 e 2013.

Graças ao estudo de fragmentos do planeta Marte, os cientistas sabem que algumas rochas marcianas têm elementos e características hidrogeológicas idênticas às rochas e às águas de Cabeço de Vide e às de The Cedars, uma zona termal nos EUA.

O tipo de geologia da região é considerada “perfeita” para criar as condições para dar origem à vida. A ideia é replicar o estudo em Marte, planeta onde a NASA encontrou uma geologia semelhante e sabe-se que já houve água e também metano. As rochas de Cabeço de Vide conferem às águas locais uma composição particular e o seu cheiro característico. Devido às rochas, estas águas têm um pH de 11,5, sendo consideradas únicas a nível Europeu e somente comparáveis às que correm numa montanha norte-americana e às dos indícios da água detetados em Marte pelos cientistas.

(Imagem: Divulgação NASA´s Curiosity Mars Rover)

No fim do ano passado, a sonda Curiosity detectou variações nos níveis de metano na atmosfera de Marte, o que pode ser um sinal de vida. visto que, na Terra, a maior parte do metano que existe é de fonte biológica. Por quatro vezes ao longo de um período de dois meses, o Curiosity mediu um aumento súbito nos níveis de metano, que depois se dissiparam com a mesma rapidez. Não se conhece a causa da flutuação, que pode ser biológica (produzida por seres vivos), ainda que a origem geoquímica (produzida por fenómenos geológicos) não esteja ainda excluída.

A sonda encontrou ainda diferentes componentes orgânicos a partir da perfuração de uma rocha do planeta. Esta foi a primeira detecção definitiva de elementos orgânicos em materiais da superfície do Planeta Vermelho, mas não há confirmação quanto à origem. As moléculas orgânicas, que contêm carbono e hidrogênio, geralmente são “blocos de construção químicos da vida”, embora possam existir sem a presença de vida: eles podem tanto ter se formado em Marte como podem ter sido inseridos na superfície pelo choque de meteoritos contra o planeta.


Ilustração mostra possíveis formas de o metano ter chegado à atmosfera 
de Marte. (Imagem: NASA)

Sem comentários: