sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

2013 Ano Europeu dos Cidadãos- Chamem os navios ao porto

...da Paz, Liberdade, Transparência e Conservação da Natureza.


Covenant- Call the Ships to the Port
"Que viva como se estivesse já morto: não terá mais nada a temer!", escreveu Yamamoto Tsunemoto, porventura o intérprete mais radical do bushido, código de honra fundado, no séc.XVII, por Yamaga Soko e seguido pelos samurais. 
Acabei de ouvir na SIC que o general da troika exige ainda mais austeridade...o que estamos à espera??? Num barco torpeado, temos que nos unir TODOS (famílias, professores, educadores, alunos...) para não vê-lo a afundar ainda mais. Sei que é utopia. A realidade é bem diferente, infelizmente. É o "tuga" dócil, virado para o seu umbigo, descoordenado (o que são manifestações de 6 em 6 meses?), safando-se como pode...Chamemos todos os nossos pequenos barcos, para o mesmo porto- o da Escola Pública, Água Pública, Agricultura Biológica, Eficiência Energética e recuperação da Paz, Liberdade, Transparência e Protecção Ambiental.

20 anos após a criação da cidadania da União, registaram-se progressos concretos que afectam directamente a vida de milhões de pessoas. Para citar apenas um exemplo: hoje em dia ir ao estrangeiro implica custos de viagem mais baixos, sem complicações na passagem das fronteiras, viagens organizadas com garantia, acesso aos sistemas de saúde e chamadas telefónicas para casa mais baratas. Trata-se apenas de alguns dos benefícios que decorrem da cidadania europeia. A Comissão pretende que sejam eliminados os obstáculos com que as pessoas ainda se deparam quando exercem os seus direitos no estrangeiro.
objectivo do Ano Europeu dos Cidadãos consiste em facilitar aos cidadãos da União o exercício do seu direito de circular e residir livremente no território da UE, assegurando um fácil acesso às informações sobre os seus direitos. Mais especificamente, o objectivo do Ano Europeu consiste em:
  • aumentar a sensibilização dos cidadãos para o seu direito de residir livremente na União Europeia;
  • aumentar a sensibilização para a forma como os cidadãos podem beneficiar dos direitos e políticas da UE e estimular a sua participação activa no processo de elaboração das políticas da União;
  • estimular o debate sobre o impacto e o potencial do direito de livre circulação, em especial em termos de reforço da coesão e de compreensão mútua.
Para assinalar o Ano Europeu dos Cidadãos de 2013, será organizada em toda a UE uma série de eventos, conferências e seminários, a nível nacional, regional ou local. A Comissão tenciona igualmente reforçar a visibilidade dos portais Web multilingues «Europe Direct» e «A sua Europa» como elementos chave de um «balcão único» de informação sobre os direitos dos cidadãos da União, bem como o papel e a visibilidade dos instrumentos de resolução de problemas, como o SOLVIT, para que os cidadãos da União exerçam e defendam melhor os seus direitos.
Ligações úteis:

Sem comentários: