domingo, 24 de junho de 2012

Sisters of Mercy Nine While Nine. Live ( High quality audio)



Uma pérola...E o video faz-me lembrar algumas viagens que fiz de comboio com os antigos walkman nos ouvidos. Esta música tem um poema muito tocante, permitindo-se imensas interpretações. 

Nine While Nine

And it's passing strange
And I'm waiting for the train
Caught up on this line again
And it's passing slowly
Killing time but it's better than living in what will come
And I've still got some of your letters with me
And I thought sometimes or I read too much
And I think you know
Let's drink to the dead lying under the water
And the cost of the blood on the driven snow
And the lipstick on my cigarettes
Frost upon the window pane
Nine while nine and I'm waiting for the train
She said do you remember a time when angels
Do you remember a time when fear
In the days when I was stronger
In the days when you were here she said
When days had no beginning
While days had no end when shadows grew no longer
I knew no other friend but you were wild
You were wild
Frost upon these cigarettes
Lipstick on the window pane
And I've lost all sense of the world outside
But I can't forget so I call your name
And I'm looking for a life for me
And I'm looking for a life for you
And I'm talking to myself again
And it's so damn cold it's just not true
And I'm walking through the rain
Trying to hold on waiting for the train
And I'm only looking for what you want
But it's lonely here and I think you knew
And I'm and I'm waiting and I wait in vain
Nine while nine and I'm waiting For the train [3x]

Enquanto For Nove Horas

Estranhamente o tempo passa
E eu estou aguardando o comboio
A aproximar-se nesta linha outra vez
E vagarosamente o tempo passa
Matando o tempo, mas isto é melhor que viver de esperanças
E eu ainda tenho algumas das tuas cartas e meditava para mim
E eu pensava as vezes ou eu lia muito
E acho que tu sabes,
Brindemos ao morto sobre a água
Ao custo do sangue na neve
E o batom no meu cigarro e
A geada sobre a vidraça
Enquanto for nove horas e eu esperar pelo comboio
Ela disse: lembras-te de um tempo quando os anjos,
recordas um tempo quando o medo,
Nos dias quando eu era mais forte,
Nos dias quando tu estavas aqui. Ela disse:
Quando os dias não tinham inicio,
Quando os dias não tinham fim e quando as sombras não se Prolongavam
Eu não conhecia outro amigo mas tu eras um solitário
Tu eras solitário
Geada sobre esses cigarros
Batom na vidraça
E eu perdi toda a noção do mundo exterior
Mais não consigo esquecer então, chamo o teu nome
E procuro uma vida para mim
E procuro uma vida contigo
E converso comigo mesmo de novo
E está tão frio que não parece verdade
E estou a passear na chuva
Tentando me manter firme na espera do comboio
E só à procura do que quero
Mas é solitário aqui e acho que tu sabes que estou a
Aguardar em vão
Enquanto for nove horas estou a aguardar o comboio...

Sem comentários: