sexta-feira, 29 de julho de 2011

Os companheiros de viagem



Eu teria milhões de razões para estar constantemente revoltado. Na minha vida já morreram muitos familiares meus e que os adoro e outros perdoei, uns são meus modelos de vida,outros são modelos daquilo que nunca serei na vida, me fizeram sofrer imenso, mas fiquei em paz comigo mesmo, PERDOANDO-OS. Os que me amaram deixaram-me "orfão" cedo - creio eu, olhando para a realidade que contacto com os restantes mortais - e cedo assumi muitas responsabilidades , sempre na senda de decencia, cresciemnto intelectual e de partilha e o que vejo é gente afunilada em mais lucro, mais juros para cobrar, mais vaidades- colegiozinhos privaods, 2 a 4 carros para cada membro da família....2 a 3 casas , senhorios que não querem fazer obras de restauro, etc  e não se apreceberem que quem recebe deve dar em troca- quer pela sua diplomacia, a sua honradez, algum voluntariado e porque não parar com o "crescimento do património familiar- porque só viver para "nós" destruiu o País.A nossa liberdade deve ter algum salário, e bem-estar  mas roubá-lo por intocáveis (com ou sem canudo) é CRIME. E depois: vem  um cancro e outras causas de morte e lá vão..., vidas (humanas e não-humanas) dos outros estragadas por causa de actos nossos é imperdoáveis bem como chutar para as outras gerações irresponsabilidades nossas é CRIME. Façamos a nossa parte, enquanto vivos.

Sem comentários: